Securitizadora

O que é Securitizadora?

A Securitizadora de uma forma bem simples de se explicar, é uma operação de antecipação de recebíveis, segura, rápida, sem burocracias e com custo mais baixo por não incidir o IOF. Gerando para sua empresa os recursos que necessita no mesmo dia, através da compra de cheques, duplicatas e créditos de cartão de crédito. Abaixo temos uma matéria do Dr. Alexandre Fuchs  das Neves, especialista no nosso seguimento, que fala das diferenças e semelhanças entre Factoring e Securitização.

Factoring x Securitização

Muito clientes tem nos feito essa pergunta recentemente, Factoring x Securitização? Quais as diferenças? Quais as vantagens e desvantagens? Por isso, vamos explicar para você o que é uma Securitizadora de Crédito, e quais suas diferenças e semelhanças com uma Factoring.

Com a evolução dos negócios, surgiu um novo modelo de securitização, que são justamente aquelas empresas de fomento mercantil que migraram de formato, justamente para melhor adequar-se a carga tributária. Contudo, via de regra continuam operando com os mesmos sacados, no mesmo local, com os mesmos cedentes e os mesmos tipos de títulos. 

Inobstante, para conhecimento geral, vale a pena referir:

Semelhanças entre factoring e securitização
  1. Risco de inadimplência: quando contratado o risco, no fomento mercantil este é suportado pela empresa de factoring; na securitização o risco é transferido para os investidores.
  2. Em ambas as atividades existe a antecipação de recebíveis, com a aplicação de deságio.
  3. Nenhuma das duas atividades existe a intervenção especulativa, ou seja, não captam recursos da poupança popular.
Diferenças entre factoring e securitização

Os recursos utilizados no factoring são próprios, ao passo que na securitização existe o emprego de recursos dos investidores.

  1. Quanto as atividades desempenhadas, o fomento mercantil, além de adquirir os recebíveis, igualmente presta serviços das mais diversas naturezas, ao passo que a securitizadora somente na aquisição de créditos cedidos pela originadora.
  2. Na securitização é possível contratar a coobrigação do cedente, enquanto no fomento mercantil, até o presente momento, o regresso fica limitado aos vícios de origem, isso por força de entendimento jurisprudencial.
  3. O fomento mercantil está voltado para as micro, pequenas e médias empresas, ao passo que as securitizadoras buscam o mercado das empresas de maior porte, justamente pelos custos que envolvem a operação.
  4. No fomento mercantil dificilmente existe a figura da compra de recebíveis já vencidos, ou seja, inadimplidos, ao passo que a securitizadora pode atuar neste ramo, sendo inclusive muito usada para tanto.

Assim, embora parecidos, não podem ser incluídos numa mesma categoria de atividades, sendo o acima apontado apenas algumas das dezenas de diferenças entre as atividades.

Fonte: SINFAC-SP