IPVA

IPVA mais caro em 2022; confira também como fica o IPTU

Com o fim do ano chegando, começam as preocupações com gastos já previstos para janeiro de 2022. Saiba como devem ficar os valores dos principais impostos: IPVA e IPTU

Em 2022, o motorista vai sentir alguns impostos mais caros no bolso, é o caso do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores). A disparada no preço dos carros usados terá reflexo na tributação.

Além disso, o período também é de cobrança do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), possíveis viagens de férias, preparação para o ano letivo, com mensalidades de matrículas, entre outros gastos.

Os valores começam a ser cobrados no próximo mês, então especialistas indicam que é melhor se preparar e, quem sabe, até guardar parte dos benefícios de fim de ano, como o 13º salário, participação de lucros ou gratificações, para ajudar a arcar com as despesas de janeiro.

Para te ajudar nessa organização de início de ano, separamos algumas dicas. Confira!

IPVA

IPVA tem um calendário de pagamento específico para cada estado e também alíquotas diferentes, então a primeira dica é ficar de olho nos prazos para conseguir parcelar o débito para aliviar o peso no orçamento de início de ano. Pagar a vista, caso seja possível financeiramente, também pode ser uma opção para desconto.

No estado de São Paulo, o imposto ficará, em média, de 25% a 30% mais caro em 2022. A cobrança é baseada no valor do veículo, e tanto os automóveis novos como os usados acumularam expressiva valorização em 2021.

Para saber quanto será o gasto com o IPVA é necessário consultar o valor do seu carro na tabela Fipe e multiplicar pela alíquota do estado. No caso de carro zero quilômetro, é considerado o valor da nota fiscal. Em São Paulo, carros com 20 anos ou mais da fabricação não pagam o imposto.

IPTU

O IPTU também deve ter um reajuste no valor, impulsionado pela inflação de 2021, mas especialistas afirmam que não deve assustar tanto quanto o IPVA.

O imposto é uma cobrança anual e que deve ser paga por todos que tenham um imóvel. Quem mora de aluguel precisa ficar atento, há proprietários que repassam o valor para os inquilinos e outros assumem o gasto.

Assim como o IPVA, os valores variam conforme o estado em que o imóvel está localizado e também de acordo com o tamanho da propriedade. Caso o IPTU não seja pago em 2022, alguns juros e multas serão destinados ao nome do proprietário do imóvel, além de prejudicar o processo de uma possível venda, caso haja interesse.

O carnê de pagamento é disponibilizado no site das prefeituras das cidades. Para calcular o valor do imposto do imóvel a conta é, em tese, bem simples:

IPTU = (m² de área efetivamente construída X valor do m² da região) X alíquota do imóvel.

Ou seja, se você tem um imóvel no valor de R$500.000,00 aplicando a alíquota de 0,55%, o valor do seu IPTU será de R$2.700,00, que poderá ser pago à vista com o benefício do desconto que é fornecido pela prefeitura ou de forma parcelada em até 10x.

Por: Contábeis | Imagem Destacada: Reprodução

Blog BBG

Acesse nosso BLOG e leia todas as matérias publicadas em nosso site.
IPVA

Consumidores podem usar créditos da Nota Fiscal Paulista para reduzir o IPVA

Outubro é o único mês do ano em que os usuários conseguem usar seus créditos para abatimento do IPVA

Usuários cadastrados na Nota Fiscal Paulista têm até o dia 31 de outubro para utilizar os créditos do programa para pagar, integral ou parcialmente, o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) de 2022.

Outubro é o único mês do ano no qual os consumidores podem usar seus créditos para pagamento do imposto. Para isso, é preciso fazer o pedido no site oficial da Nota Fiscal Paulista . O veículo deve estar no nome da pessoa cadastrada no programa para que a opção seja válida.

O consumidor poderá escolher a quantia (integral ou parcial) que deseja enviar para o abatimento. Não há um valor mínimo de créditos a ser usado. Caso envie mais do que é necessário para a quitação, o dinheiro será restituído na conta-corrente da Nota Fiscal Paulista.

Veja como usar os créditos da Nota Fiscal Paulista para pagar o IPVA

  • Acesse o  site da Nota Fiscal Paulista e faça o login;
  • No menu "Conta Corrente", clique em "Utilizar Créditos";
  • Selecione a opção “Quitação ou abatimento no valor do IPVA”;
  • Informe o número do Renavam e clique em "verificar";
  • Se a numeração estiver correta, o sistema habilitará o botão "Confirmar" e o campo para informar o valor que será abatido (ao lado, aparecerá quanto você tem de créditos atualmente);
  • O sistema mostrará uma ficha com o nome do usuário e todos os detalhes do carro (placa, Renavam, marca/modelo, ano de fabricação, combustível), além do valor do crédito utilizado;
  • Clique em "Confirmar" ou "Corrigir Dados";
  • A transferência dos créditos para abatimento do IPVA é irretratável, ou seja, uma vez confirmada, não poderá ser modificada;
  • Em caso de venda do veículo, o valor não poderá ser devolvido.

Vale lembrar que os créditos da Nota Fiscal Paulista só podem ser utilizados para reduzir o valor do IPVA, não sendo válidos para taxas de licenciamento do automóvel, DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) ou multas.

Segundo a Secretaria da Fazenda e Planejamento de São Paulo, em 2020, 20.846 consumidores solicitaram o abatimento do IPVA deste ano.

Por: iG Economia | Imagem Destacada: Reprodução

Blog BBG

Acesse nosso BLOG e leia todas as matérias publicadas em nosso site.
Iniciar chat
Olá!
Podemos te ajudar?